Vinhos: Puerto Viejo Pinot Noir

Degustei esse vinho que me encanta bastante nesse final de semana e mais uma vez não me decepcionei.

O Purerto Viejo Pinot Noir é produzido na região do Vale de Maule na Fazenda Yerbas Buenas que encontra-se em uma zona próxima à cordilheira dos Andes e corresponde a um clima temperado-quente.

O vinhedo de Pino Noir tem mais de 8 anos de idade e suas uvas são colhidas manualmente com dupla seleção. 

A colheita foi feita na metade do mês de Março.


O aspecto visual do vinho apresenta coloração cereja com reflexos vermelhos na taça, seus aromas mostarama morango, cravo, café no final denotando traços de madeira.

Na boca demonstrou sabor completo de frutas, com uma leve picância e final interessante de notas defumadas. Recomende sempre esse vinho pela facilidade de degustá-lo e pela elegância da uva. 

Um abraço a todos.

Danilo Muniz.

Queijos do Mundo: Asiago (Itália)

O Asiago é um queijo italiano, produzido em Asiago, província de Vicenza, região do Vêneto. 
A região se tronou famosa em função de seu queijo e não pela batalha travada na Primeira Guerra Mundial entre os Austríacos e os Italianos.
 Este queijo é produzido a partir de leite cru de vaca, tem formato cilíndrico e em geral pesa de 8 kg a 20 kg. Quando jovem, ele possui uma casca lisa e amarela que passa para o amarelo escuro conforme envelhece.
O queijo asiago é produzido de duas formas:
O Pressato, elaborado com leite integral e curado por 20 a 30 dias, com coloração amarelo-claro, textura elástica e com sabor e fragrância doce e delicada.
O d'Allevo é maturado e elaborado com leite desnatado, com longo processo de maturação(cerca de um ano) e resulta em um queijo frutado, levemente picante, de textura granulosa e compacta. No seu interior encontram-se pequenos buracos. Depois de maturado por 2 anos, se torna quebradiço.

Queijos do Mundo: Boursin (França)

O queijo Boursin é um produto de formato pastoso ou semi cremoso, podendo ser encontrado com ervas, especiarias e frutas, podendo apresentar características salgadas, adocicadas e em sua forma natural.
O sabor é suave, ligeiramente ácido podendo tender ao ácido. Sua massa é crua. 
É um queijo com indicação de consumo rápido, pois trata-se de um produto fresco com validade comercial curta.
O tipo de coagulação é que determinada o tipo de consistência do queijo, por exemplo, quando se coagula o leite com coalho a massa tende a ficar mais firme, menos porosa e mais seca. Ao contrário que ocorre na fermentação lática (uso de fermento lático para coagular), a massa fica mais úmida, mais porosa, menos consistente (caso do Boursin).
O Boursin é um exemplo dos famosos "fromage frais" franceses, que pode ser elaborado com leite de vaca ou leite de cabra.


Cervejas: Schöfferhofer Hefewizen e Kristalweizen

O final de semana esta chegando e nada melhor que falar de cerveja. Então, vou falar de dois alemãs do estilo Ale, feitas a basede trigo:

Schöfferhofer Hefewiezen:

Esta é a cerveja alemã Schofferhofer Hefeweizen, produzida pelo grupo Alemão Raderberger, um dos maiores grupos alemães com fábricas em 18 cidades da Alemanha. Essa cerveja é uma típica representante das cervejas de trigo, Hefeweizen,  com coloração ambar, turva com espuma densa e consistente. Nos aromas, especiarias e frutas concentradas (cravo, banana, etc...). 
No paladar refrescância e corpo, aliado ao baixo amargor.
  
Schöferhhofer Kristallwiezen:

Outra representante alemã de muito respeito, a Schöfferhofer Kristallweizen é uma típica cerveja de trigo alemã filtrada. Por ser filtrada, não apresenta o aspecto turvo característico de uma cerveja de trigo, mas um aspecto translúcido com espuma branca e de média duração. Seu aroma apresenta notas de banana, limão e malte. No paladar apresenta o amargor do lúpulo, mas não extravagante. Final harmônico e com muita refrescância.
Acompanha pratos leves, como saladas, aves, peixes, salsichas brancas, queijos suaves e sobremesas.

Queijos do Mundo - Grana Padano (Itália)

O queijo Grana Padano é um dos mais populares produtos italianos, produzido sobre a Denominação de Origem Controlata de Queijos da Itália. Seu nome vem da grana, substantivo, que se refere à textura granulada distintamente do queijo, e ao adjetivo Padano, que se refere ao vale Pianura Padana, região que se estende do Oeste Italiano ao Leste, seguindo toda a extensão do Rio Pó.

O queijo Grana Padano foi o primeiro queijo duro do mundo, criados quase 1.000 anos atrás pelos monges cistircinenses  de Chiaravalle Abbey, fundada em 1135 perto de Milão, que usou um queijo curado, como forma de preservar os excedentes de leite. Até o ano de 1477, foi considerado como um dos queijos mais famosos da Itália.
Ela pode durar um longo tempo sem estragar, por vezes, envelhecimento de até dois anos. Hoje, os produtos similares são feitas nas regiões de Emilia-Romagna, Lombardia, Piemonte, Trentino e Vêneto.
Como o Parmigiano Reggiano, Grana Padano é um queijo semi-rígido de gordura, que é cozido e amadureceu lentamente (pelo menos 9 meses, então o queijo passa pelos testes de qualidade. Se aprovado, será marcado com a marca do fogo "Grana Padano").
As vacas são ordenhadas duas vezes por dia, o leite é deixado em repouso, e depois parcialmente desnatados. O leite produzido na noite é desnatado para remover a camada superficial de nata e misturado com leite fresco produzido pela manhã. O leite parcialmente desnatado é transferido para o cobre e jarros coagulado, a coalhada resultante é cortada para produzir grânulos com o tamanho de grãos de arroz, que dá ao queijo a sua textura característica, e em seguida, cozido à 53-56 ° C. Ela é produzida durante todo o ano e a qualidade pode variar sazonalmente, bem como pelo ano. Geralmente semelhante ao queijo parmesão, grana padano é menos quebradiço, de sabor mais suave e menos acentuado do que seu parente igualmente famoso.
Uma roda de Grana Padano é cilíndrica, com formato um pouco convexo ou quase reto sua faces superiores e inferiores são planas. Ela mede 35-45 cm de diâmetro, e 15 a 18 cm de altura. Ele pesa 24 a 40 kg (53 a 88 libras) por roda. A casca, que é fina, é branca ou amarelo palha.
Grana Padano foi produzido desde o século 12, e produção e qualidade são supervisionados pelo Consorzio per la tutela del formaggio Grana Padano.
Para ajudar o consumidor com sua escolha, Grana Padano pode ser encontrado em três diferentes colheitas ou estágios de maturação:
  • "Grana Padano" (9 a 16 meses): a mais nova das três, a sua textura granulada é apenas tornar-se presente e tem um sabor delicado e cremoso.

  • "Grana Padano oltre 16 mesi" (mais de 16 meses): ele tem agora uma crumblier textura e sabor característico, persistente mas nunca demasiado forte
  • "Grana Padano Riserva (Reserva - mais de 20 meses), Grana Padano foi testado mais uma vez em 20 meses e passou ainda outra série de testes para marcar a sua qualidade suprema. A escolha para gourmets.

Queijos do Mundo: Calcar (Uruguai)

Um dos produtos de maior comercialização nos últimos anos em matéria de queijos importados é o Queijo Uruguaio Calcar, produzido pela Cooperativa Carmelo.
Esse queijo é um dos mais atraentes em matéria de aroma e paladar, sendo um queijo firme de estrutura quebradiça, podendo ser utilizado em lascas, ralado ou em fatias.
Possui coloração amarelada e sua forma é envolvida em parafina preta o que realça sua sofisticação. Matura por aproximadamente 8 meses, fato que lhe confere cristais de sal em toda a sua estrutura.
Esse é um queijo campeão e que merece uma atenção especial, pois devido as suas características e a persistência de seu sabor, fica entre um dos melhores comercializados hoje em dia.
Espero que experimentem e tenho certeza sobre que irão gostar....

O vinho e as mulheres

Essa matéria li um artigo muito interessante na Revista Gula e gostaria de compartilhar com vocês.
O autor da matéria é o jornalista Mauro Marelo Alves que mensalmente escreve a coluna Confissões da Taça na revista.
Ele traça um perfil das mulheres consumidoras de vinho através de uma pesquisa com mais de 4000 consumidoras, realizada em 5 paises: França, Alemanha, Inglaterra, Japão e Estados Unidos.
Os resultados apresentados foram:
Para 53,7% delas o vinho é uma arte de vida,
42% consiream o vinho um produto cultural.
O consumo de vinhos é de 68,6% em "momentos privilegiados e conviviais entre amigos".
E importante também ressaltar que, para 79,3% delas o vinho não é moda e sim um prazer permanente, pois amam o gosto do vinho.
E a preferência entre tintos e brancos: 2/3 das entrevistadas preferem o vinho tinto, comprovando uma pesquisa italiana que indica que o vinho tinto possue componentes químicos que melhoram as funções sexuais através do aumento ca circulação sanguínea em áreas do corpo mais sensíveis ao prazer.
E ainda, 85%  delas acredita que o vinho não é prejudicial a saúde e sim uma fonte de prazer e saúde.
Com relação as compras de vinhos, as circunstâncias são muito específicas, sendo que as inglesas, com 61,3%, se consideram independentes na escolha de compra de seus vinhos enquanto somente 7,3% das japonesas se consideram aptas a comprar seu próprio vinho.
E com relação ao ato da compra, as mulhores compram seus vinhos através de uma questão básica de consumo: Mesmo munidas de informações, o preço é fator determinante no ato da compra. Elas avaliam a relação custo-benefício no momento de decisão, enquanto deixam para os homens a decisão de compra de jóias raras.
E nós devemos muito a elas.
Então, na hora de comprar um vinho ou indicar um produto a uma mulher, saiba que ela está munida de informações para optar pela melhor compra.

Espero que em breve as consumidoras brasileiras comecem a exercer a mesma opinião de compras das consumidoras dos demais paises.

Abraços....

Danilo Muniz

Vinhos: Uva Malbec

As uvas Malbec originaram-se na França e desempenham um grande papel na produção de vinho da Argentina.  
Os sabores e aromas dos vinhos feitos a partir de uvas Malbec incluem amora, cereja, ameixa e chocolate. Outras características dos vinhos Malbec incluem tinta preta que chegam a colorir a taçar, taninos suaves e alta acidez. Vinhos Malbec não são tão populares como os vinhos feitos a partir de outras variedades de uva vermelha, mas sua popularidade está crescendo graças a bebedores de vinho que buscam experiências novas de vinhos do novo mundo e diferentes características.

A uva Malbec continua a ser empregada na produção de vinhos em Bordeaux, na França, pois fornece tanto a cor forte e taninos firmes.

Agora como varietal na Argentina, produz vinhos encorpados com taninos muito suaves e sabores fortes de frutas. Por um tempo os produtores de vinho argentino substituiram a maioria de suas vinhas velhas de Malbec com videiras de mais "negociáveis", mas agora que o resto do mundo descobriu quão bons vinhos varietais com a uva Malbec podem ser produzidos, a Argentina está de volta ao negócio de produção de vinho Malbec.
 
Sabor e aromas do vinhos produzidos com a uva Malbec:
Amora silvestre
Ameixa
Pimenta
Cereja
Chocolate

Outras Características Malbec
Médio a encorpado
Tinta preta de coloração
Acidez

Hamonização da Malbec
Carnes vermelhas
Os alimentos picantes (mexicana, indiana)
Pratos a base de molhos de tomate
Pizzas
Carne de porco assada


E ja comentei um vinho com essa uva: O Naiara Reserva Malbec 2006... se vocês quiserem saber algo  mais sobre esse vinho, basta clicar aqui. 

Abraços e espero que gostem.

Vinhos: Uva Tannat

A uva Tannat, originária do Sudoeste de França, é responsável pelas características dos vinhos tintos de Madiran, França, e do Uruguai, que se tornaram emblemáticos para essas regiões. A casta Tannat foi introduzida no Rio Grande do Sul, em 1971, pela Estação Experimental de Caxias do Sul. Ela apresenta elevado vigor e brotação tardia, o que lhe garante proteção dos efeitos prejudiciais das geadas primaveris. 


O vinho Tannat apresenta elevada intensidade de cor e concentração de taninos, por isso necessita de mais de seis meses de amadurecimento em barrica de carvalho para adquirir equilíbrio e maciez. 

Vinhos estruturados e de coloração muito intensa, por ser rico em compostos fenólicos. Geralmente ácido, duro e nervoso. Tem como características a concentração do tanino (daí nome), aquele elemento importantíssimo da uva que dá cor e uma sensação de adstringência na boca (pois tem a capacidade de coagular a saliva) que pode ser muito intensa ou bem trabalhada. É recomendável para corte com outros vinhos tintos finos para intensificar sua cor e estrutura e também para a produção de vinho varietal podendo melhorar com o amadurecimento em barricas de carvalho. Se a uva é madura, e o vinho amadurecido em barrica de carvalho, torna-se relativamente redondo, mais suave e agradável.
 

No Brasil, os maiores municípios produtores de uva Tannat são: Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul e Cotiporã, na Serra Gaúcha, e Santana do Livramento, na Campanha. 


O destino dessa produção é para a elaboração de vinho tinto, utilizado principalmente para corte e, recentemente, também para a produção de vinho tinto varietal.

Os vinhos da uva Tannat são considerados os mais benéficos ao organismo, pois contém maior concentração de resveratrol, substância química antioxidante que ajuda a combater o envelhecimento precoce e alguns tipos de câncer. Sem contar que ajuda nas doenças do coração.

E viva a Tannat...

Vinhos: Uva Merlot

Uva também francesa, com grande penetração na região de Bordeaux, entre no corte dos vinhos da região junto da Cabernet  Sauvignon e da Cabernet Franc, na composiçao dos vinhos de Bordeaux, principalmente St. Emillion e em corte para o Pomerol.

Detém enorme prestpigio na França e nos demais paises aonde é cultivada, sendo que é a mais plantada em Bordeaux, e também a 3ª mais importante no seu país de origem.

Uva elegante, com casca escura, proporciona armos de café, ameixas maduras, pimenta do reino.

Seus vinhos apresentam baixa acidez, textura suave e baixo nível de taninos, suculentos.

Aproveita bem o barril de carvalho, podendo envelhecer e mostrar vinhos com alta complexidade e estrutura.

Cultivada hoje na França, Estados Unidos, Chile, Argentina, Brasil. Na Espanha, além da produção em diversas regiões do país, as regiões de Navarra e Somontano são as principais produtoras de Merlot.

Alguns vinhos produzidos com a Merlot:
. Petrus;
. Chateau Angelus;
. Chateau. Palmer;
. Ornellaia,
. Casa Lapostolle,
. Clos Apalta;
. Má Partilha.

Assim como a maioria das uvas tintas, a Merlot pode ser apresentada sozinha (varietal) ou em corte (assemblage). Em ambos os casos, ela dá origem a vinhos mais redondos, aveludados e estruturados. Normalmente, o tempo de guarda é bem vindo para essa uva, porém, seus vinhos podem ser degustados mais jovens. Quando em corte, ela é responsável por arredondar, harmonizar e dar mais elegância ao conjunto.

Vinhos: Dolcetto d'Alba Casa Marttelleti DOC 2009 e Lasanha de Gruyere e Funghi Porcini

Esse foi o jantar de hoje. Acabou saindo tarde, mesmo eu estando na cozinha desde as 18:00 hs.
Como era de se esperar, não ficou apenas na lasanha e no vinho....
Antes de começar a preparar a lasaha, veio a seção de entradas: Antepasto de abobrinha ao forno com tomates secos e muita hortelã e o que acho mais simples e fantástico na cozinha italiana: Pesto Genovês.
Depois de passar no Xirata em Santo André e comprar um maço fresquíssimo de manjericão, cheguei em casa e comecei a preparação do jantar.
Comecei pelo receheio da lasanha, carregada de funghi porcini e queijo gruyere.
Depois iniciei a preparação da lasanha, estaja semi pronta (lógico, se eu fosse fazer a massa não estaria postando as 22:30 esse comentário), e depois me voltei pra abrobrinha e o pesto.
Feito tudo isso fui intimado pela dona da pensão a escolher o vinho e para essa ocasião nada melhor que um italiano, e da mesma região dos cogumelos secos e tartufos... um Dolcetto d'Alba.
Esse vinho é produzido na região do Piemonte, região noroeste da Itália, próxima a divisa com a frança.
Seus vinhos dessa uva na região são fáceis de beber, acompanham pratos da região e podem ser consumidos com comida ou simplesmente como aperitivo. Os vinhos originados de Dolcetto devem ser consumidos jovens.
Ao abrir a garrafa e postá-lo na taça, o vinho mostrava uma viva cor rubi intensa, e seus aromas, ainda frescos, pediam a comida como acompanhamento.
Ao beber o primeiro gole, o alcool ainda se mostrava presente, mas em seguida, os taninos macios do vinho pediam a presença da massa que ja estava quase pronta.
Ao iniciar a refeição, os aromas de ameixas e cerejas estavam muito mais notáveis.
A lasanha pedia mais vinho e o vinho pedia mais lasanha.
Um casamento perfeito entre dois produtos da mesma região: O funghi porcini e o Dolcetto d'Alba.
Sai um pouco da minha reeducação alimentar e agora, ao escrever esse post, nada melhor que um porto Vista Alegre Tawny.
Hoje vou dormir como um anjinho, sonhando com os cogumelos e as uvas dessa região.
Mas amanhã, duas horas de caminhada.

Uma boa noite a todos....

Danilo

Cervejas - Harmonização II

Seguindo o informativo sobre harmonizações, queijos e cervejas combinam tão bem quanto queijos e vinhos e como vimos no post anterior, existem inúmeras possibilidades que podem levar ao mais alto grau de satisfação.
Dentro dessa linha, vou expor outros eventos, dessa vez em maior amplitude, das diferentes combinações entre queijos e cervejas:

1. Mozzarela de Bufala - Pilsen
2. Queijo Boursin - Pilsen / Weizenbier
3. Queijo Chabichou - Pilsen / Weizenbier
4. Brie / Camembert - Pilsen / Kolsch / Weizenbier
5. Queijo Gouda - Pilsen / Pale Ale / Strong Golden Ale
6. Queijo Chévre ( Cabra) - Pilsen / Kolsch / Weizenbier
7. Emmenthal - Pilsen / Pale Ale / Strong Golden Ale
8. Appenzeller - Pilsen / Pale Ale / Strong Golden Ale
9. Gruyere - Pilsen / Pale Ale / Strong Golden Ale
10. Grana Padano - Dunkel / Pale Ale
11. Parmesão - Dunkel / Pale Ale
12. Pecorino - Dunkel
13. Gorgonzola - Weizenbock / Strong
14. Roquefort - Weizenbock / Strong
15. Blue Stilton - Weizenbock / Strong
16. Provolone - Rauchbier / Potter / Stout
17 . Defumado - Rauchbier / Potter / Stout

Essas são algumas das combinações possíveis, mas não quer dizer que sejam todas únicas. Por isso, é interessante experimentar uma cerveja ou mais cervejas com diversos tipos de queijos e verificar suas combinações, pois o melhor de tudo isso é a satisfação e o aprendizado.

Até mais...

Evento: Haloween Guiness Flag Bar em São Bernardo do Campo

Mais um evento acontecendo no ABC.
Halloween Guinness no Flag Bar.
A já tradicional festa de Halloween, agora com um ingrediente especial:
Vejam as informações sobre o evento.
Festa de Halloween da Guinness no Flag Bar em SBC - convites limitados - vendas antecipadas no Flag Bar. Projeto Monday Party - festas exclusivas na segunda. homem ganha capa de halloween e mulher chapéu de bruxa - welcome Guinness ...
Imperdivel !!!
HALLOWEEN GUINNESS EVENT ....
Maiores informações no blog do bar:
http://flagbar.blogspot.com/

Cervejas - Harmonização

Como se sabe, a harmonização é o assunto da moda na gastronomia e hoje em dia tudo tende a seguir essa tendência. Harmonizar queijos sempre ficou a cargo dos vinhos, que na sua grande maioria das vezes, era considerado o companheiro ideal, mas, devido a grande oferta de cervejas dos mais diversos tipos, a combinação Queijo X Cerveja também tem ganho adeptos.

Estarei mostrando algumas combinações a partir de agora e qual a melhor forma de fazê-los.
Espero que gostem.

Num processo de harmonização, devemos sempre pensar nas carcterísticas de ambos, queijos e cervejas, e nas suas estruturas como corpo, acidez, amargor, doçura, etc.

Sendo assim, devemos combinas cervejas leves a queijos leves, cervejas encorpadas com queijos encorpados, queijos de sabores fortes com cervejas fortes, etc.

Nesse quesito, devemos iniciar com as Pilsens, que são cervejas leves com amargor variável, dependendo do país, com os queijos mais leves. A melhor indicação para esse tipo de combinação seria a mozzarela de búfala, que nada mais é um queijo leve e quase fresco com a Pilsen, pois o amargor da cerveja e seu leve corpo, não serão superiores ao gosto leve da mozzarela.

Como indicação, deve-se sorver a cerveja em primeiro lugar e comer o queijo em seguida, depois mais cerveja, mais queijo, etc.

Sabemos que a combinação se torna ideal quando a sensação na boca é aquela em que nenhum dos dois itens eliminem os aromas do outro, ou seja, simplesmente se complementem ou realcem seus sabores.
Na próxima postagem darei novas indicações e novas combinações...
.
Até lá...
.

Vinhos: Argentina - Regiões produtoras e suas características

Este é o quinto país em produção de uvas no mundo, sendo algo em torno de 2,8 milhões de toneladas por ano, quarto produtor de vinhos (1,5 bilhões de vinhos anualmente) e o sexto maior consumidor per capita. Mas nem tudo são glórias para os argentinos, pois até a década de 80 a grande maioria dos produtos eram fracos e voltados a produtos de baixa qualidade.
Depois de muitos investimentos a Argentina tornou-se um berço de grandes produtores de vinhos finos e de qualidade, calcada na uva Malbec e que trouxe de volta o glamour a esse país vizinho.
A principal região produtora de vinhos argentinos é Mendoza, responsável por 70% da produção vinícola argentina, seguida por San Juan.
As plantações são predominantemente nos pés da Cordilheira dos Andes, alcançando 1.500 metros do nível do mar, o que confere maior maturação e qualidade aos seus vinhos.
Uma característica interessante de seus vinhedos é a irrigação das videiras com a água do degelo da Cordilheira, levando-se em consideração que a região de Mendoza era considerada um deserto.
Além de Mendoza e San Juan, a Argentina produz vinhos nas regiões de Rio Negro, ao sul, e Salta ao norte. 
Principais uvas plantadas na Argentina: Malbec, Cabernet Sauvignon, Bonarda, Merlot e Syrah, tintas e Torrontés, Chardonnay e Viognier, brancas.
Existem muitos produtores realizando excelentes trabalhos na Argentina, dentre eles é bom destacar: Catena Zapata (um dos mais respeitados e aplaudidos enólogo argentino), Familia Zuccardi (agora produtores de azeite de qualidade também), Achaval Ferrer, Familia Ruttini, Luigi Bosca, Suzana Balbo (com a sua linha Crios, excelente), O. Fournier (que também produz vinhos na Espanha, em Ribeira del Duero), e muitos outros.
Na próxima vez que for experimentar um vinho argentino, de prioridade para
vinhos de procedência, com indicação de procedência destacadas e se possível com a uva Malbec e Torrontés, uvas essas que se adaptaram muito bem ao terroir desse país. E se possível, acompanhado de um belo corte argentino de carne ou as tradicionais empanadas.

Um abraço


Danilo Muniz

Vinhos: Cabernet Sauvignon - A Rainha das Uvas Tintas

A Cabernet Sauvignon é a rainha das uvas tintas.
É a mais difundida uva vitisvinífera produzida no mundo, com extrema facilidade de adaptação nos mais diversos terroirs do mundo.
Acredita-se que seja originária na França, e tem sua melhor expressão na região de Bordeaux, sendo que esta região é a maior produtora desta uva no mundo, com área de aproximadamente 30 mil hectares.
Possui características próprias e muitas vezes similares em todas as regiões, com alguma variação em determinados locais.
Possui coloração rubi escura, aromas de cassis, ameixas, cerejas, menta, eucalipto quando não envelhecido e tabaco, baunilha, café, caramelo quando envelhecido em barris de carvalho.
Hoje é produzido em larga escala em diversos países, como Itália (Supertoscanos), Espanha (Vega-Sícilia), Portugal (Quinta e Palácio da Bacalhoa), Chile (Don Melchor, Almaviva) e muitos outros.
Como referências francesas podemos destacar: Chateau Margaux, Chateau Lafite, Chateau Haut-Brion, dentre outros. Produtos estes que podem atingir preços astronômicos, dependendo da safra, e da voracidade dos compradores internacionais e das notas dos especialistas do mundo do vinho.

Evento: 2ª Feira de Vinhos do Empório do Bacalhau

É isso ai pessoal, na semana que vem será realizada a 2ª Feira de Vinhos do Empório do Bacalhau em São Bernardo do Campo.
Serão várias importadoras apresentando suas novidades e vendendo ao consumidor seus vinhos com descontos imperdíveis.
Estarei presente ao evento e postarei na próxima semana informações sobre o evento, se possível, diretamente da feira.
É necessário levar 1 kg de alimento não perecível para participar do evento e confirmar presença nos telefones ao lado.
Não deixem de prestigiar.

Um abraço a todos!!!

Danilo Muniz

O que é vinho?

Muitas pessoas me perguntam, mas o que é vinho? E muitas dúvidas vem a cabeça quando falamos nesse líquido fascinante que a natureza nos fornece.
Ao serem questionadas, dizem: "É aquele docinho que eu compro o supermercado", ou " Adoro batida de vinho com abacaxi" , mas vinho, na sua concepção, nada mais é que o resultado da fermentação do  mosto de uvas, obtidos após a prensa de vários kilos de uva, fazendo com que o açucar das uvas sejam transformadas em alcool.
Apesar do vinho ser produzido de uvas, existem tipos específicos para a produção dos chamados vinhos de qualidade e outras que não são tão boas assim. Ao grupo de uvas usadas na produção de vinhos de qualidade da-se o nome de vitiviníferas e ao segundo grupo, uvas de qualidade inferior com pouca quantidade de açucar, dá-se o nome de americanas, ou labruscas.
As uvas que fazem parte do primeiro grupo são bem conhecidas, como: Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay, Malbec, Carmenere, Syrah, Sauvignon Balnc, entre outras.
Ao segundo grupo, já é mais dificíl identificar quais são as uvas que entram na composição do vinho, sendo que a mais conhecida delas é a uva Isabel, existindo também a Niágara, Bordô, etc.
Acima, temos uma foto de Cabernet Sauvignon, a mais difundida mundialmente.
No próximo encontro, falarei um pouco mais sobre a Cabernet Sauvignon e sobre as áreas plantadas mundialmente e sobre a diferença entre Velho e Novo Mundo.
Até mais....

Vinhos: Como armazenar seus vinhos


Frequentemente essa pergunta é feita por pessoas que tem interesse em montar uma adega ou se iniciar no mundo do vinho.
Então vou deixar algumas dicas de como armazenar seus vinhos e não ter a decepção ao abrí-los e descobrir que ja estão passados ou "mortos".
> Os vinhos devem ser mantidos em locais arejados, fazendo com que a criação de fungos nas rolhas seja proliferado.
> Insolação é muito prejudicial ao vinho. Mesmo as garrafas, na sua grande maioria, sendo escuras (Pretas ou verdes), a luz penetra os recepientes e faz com que o vinho diminua sua vida útil e comece o processo de oxidação. O ideal é deixá-los em locais com pouca luz.
> Temperatura do ambiente: Éaconselhável que seus vinhos permaneçam em locais com temperatura constante, de preferência entre 14º C e 18ºC. Isto fará com que seus vinhos mantenham suas características e propriedades. A variação de temperatura é altamente prejudicial ao vinho.
> As garafas devem estardeitadas, na posição horizontal. O ideal é que o líquido permaneça em contato com a rolha o maior tempo possível. Isso faz com que ela mantenha-se intacta e úmida evitando o ressecamento e a entrada de oxigênio no vinho, reduzindo sua vida útil e inicando o processo de oxidação,

Espero que gostem dessas pequenas dicas e se for possível, a compra de uma adega climatizada é sempre bem vinda, pois ela possui todas as características acima e pode aumentar o prazer no consumo de seus vinhos.

Abraços

Danilo Muniz

Cervejas - Lei da Pureza Alemã.

A lei da Pureza Alemã ou Reinheitsgebot data de 23 de Abril de 1516 e foi promulgada pelo Duque Guilherme IV da Baviera, criando assim uma das leis de alimentação mais antigas do mundo. Essa lei é antecessora lei promulgada pelo Marquês de Pombal que instituiu a legislação para o vinho do Porto, que só foi acontecer em 1756. Portanto, trata-se de um registro histórico de suma importância, pois talvez por ele, hoje nós tenhamos a garantia de qualidade de produtos que até então nem era conhecida a sua fabricação, seus métodos e processos, etc.
A legislação previa que somente poderiam ser utilizados na fabricação de cerveja água, malte de cevada e lúpulo.
Em 1906 a lei foi alterada e estendida para toda a Alemanha, e após a 2 Guerra Mundial, novos itens foram incorporados:
  • Nas cervejas de baixa fermentação foram autorizadas o malte de cevada, o lúpulo e a água;
  • Nas cervejas de alta fermentação além de todos esses itens, foram autorizados o malte de outros cereais, bem como corantes e um número limitado de açucares.
  • E por último, deram maior liberdade as cervejas destinadas a exportação.
Por isso que alemão fala que os Belgas e os outros países produtores não fazem cerveja.....
Mas essa lei tem o seu valor histórico e por isso que hoje temos controles de qualidades muito mais abrangentes e rigorosos.

Queijos do Mundo - Maasdam (Holanda)


O Maasdam é mais um dos queijos Holandeses de alta procura no Brasil.
Sua forma cilíndrica de aproximadamente 12 queijo é um convite a desgutação e o prazer dos queijos. Criado na cidade de Maasdam, Holanda, esse queijo lembra e muito os queijos de desenho animado, pois normalmente é cortado em cunhas e seu interior possui inúmeros buracos, grandes e consistentes, característica marcante deste queijo.
Esse queijo tem estrutura firme, com fácil corte devida a sua cura mediana. 
Seu sabor lembra algo como nozes, por vezes adocicado e muito requinte. Nota do comentarista: "Quem come, jamais esquece seu sabor".
Acompanha vinhos, pode ser apreciado sozinho como aperitivo ou mesmo uma tábua de frios, incorporando seu sabor único. Deve ser usado também, na gastronomia, como queijo para sanduíches, gratinar, ou até mesmo no fondue.

A foto de ontém.... com a explicação hoje.....

Como havia prometido ontém, estou postando a estória dessa foto que a tantos emociona, sejam eles apreciadores de vinho, apreciadores das artes ou simplesmente qualquer pessoa que ache esse garotinho engraçado, com o peito estufado e o orgulho de carregar as duas garrafas de vinho em seus braços.

Essa célebre fotografia feita por Henri Cartier-Bresson em 1954, mostra um menino sorridente, com o olhar travesso, carregando duas garrafas de vinho. Dizem que Bresson manteve contato com o menino ao longo dos anos, e quando este completou cinquenta anos, Bresson apareceu na sua festa de aniversário segurando duas garrafas de vinho debaixo dos braços.

Retirei essa informação do blog do Fernando Rabelo.

Segue o link do blog: Images & Visions

Vinho de hoje: Naiara Reserva Malbec 2006

Devido ao aniaversário da minha querida esposa Vivian, abrimos um vinho que até então, haviado sido comprado por ela há 2 anos na Feira da França que aconteceu exatamente no mês e Outubro de 2009 no Pavilhão Vera Cruz em São Bernardo do Campo.
Deixamos ele junto com os outros vinhos de casa na pequena adeguinha que tenho e deitadinho, quietinho, posso garantir que  ficou bem conservado e com toda a sua potencialidade a mostra.
Posso garantir que a coloração dele ja demonstrava notas do envelhecimento, e exalava aromas de madeira e tostado.
As frutas sairam tímidas da taça, mas com o tempo, as ameixas maduras, a cereja e no final um leve toque de tostado.
Encorpado, com taninos sedosos e acidez muito correta, posso dizer que o alcool deu a estrutura necessária para acompanhar, digamos, uma inusitada refeição que fizemos hoje.
Bom... esse é o comentário de uma noite maravilhosa.
Parabéns amor... Muitas felicidades nesse dia e em todos os novos que irão raiar.



Danilo Muniz

Queijos do Mundo - Brie e Camembert

Queijo Brie

Os chamados brie são uma importante família de queijos de pasta mole e crosta florida, originados da região de Brie, na França.

Fabricados com leite de vaca, o brie tradicional apresenta-se no formato de um cilindrico com 35 centímetros de diâmetro por 35 milímetros de altura e com um peso que varia de 2 a 2,5 kg. A sua crosta é branca e macia, formada pelo fungo fungo Penicillum candida.

De sabor delicado, considera-se em boas condições se estiver mole, mas sem escorrer. O seu sabor e textura se modificam de acordo com a sua maturação: os sabores mais suaves e as texturas mais macias são encontrados em peças com até trinta dias de maturação; para um sabor mais apurados e uma textura cremosa, são indicadas peças com mais de trinta dias.

Para melhor ser degustado, o brie deve ser retirado da refrigeração 30 minutos antes de ser servido. O acompanhamento sugerido é um bom vinho tinto.

Brie aquecido só grita elegância e decadência se servido com frutas simples ou em um fondue elegante. O sabor rico e frutado de Brie vai bem com fondues, molhos, legumes, frutas e carne.

História Brie

Diz a lenda que no século VIII, o imperador francês Carlos Magno I provou este queijo macio de um monastério em
Reuil-en-Brie e caiu imediatamente de amor com seu sabor cremoso, rico. Os favoritos dos reis eventualmente tornan-se favoritos do povo, e Brie não é excepção.

Brie legítimo deve ser feita no
Seine-et-Marne, zona sul de Paris, mas muitos países agora fabricam um queijo semelhante, que é vendido como Brie.

Variedades do queijo Brie
Brie de Meaux é considerado o melhor Brie francês, seguido por Brie de Melun e Brie de Montereau.

Criações mais recentes incluem
Brie Azul, que é injetado com um molde para criar um híbrido de bleu cheese e Brie. É uma boa escolha para aqueles que não podem lidar com todo o sabor de queijo bleu, pois é muito mais suave.
Bries comerciais revestidos em ervas, frutos secos, pimentões ou cogumelos também já estão no mercado.
Brie en croute é uma receita popular, onde o queijo é envolto em uma massa folhada assada e, muitas vezes com uma camada de fruta.

Camembert
O queijo camembert é um derivado do brie..

Camembert é o nome de uma variedade de queijo de pasta mole, originalmente da região da Normandia, no Noroeste da França. Tem alguma semelhança com o brie do qual deriva

História

Afirma-se que, à época da Revolução Francesa, um certo dia, a família de Marie Harel, que habitava na Normandia, deu abrigo a um padre que estava sendo perseguido. Esse religioso vinha da região de Brie e, como forma de agradecimento aos seus anfitriões pela acolhida e proteção, transmitiu-lhes todo o seu conhecimento sobre a fabricação de queijos.

Surgiu dessa forma, através de uma adaptação da técnica da fabricação do brie, uma nova variedade de queijo, feita da massa mole que não era cozida e nem espremida. Essa nova variedade era mais macia, com um aroma mais delicado e um sabor agradável, levemente terroso.
Com a inauguração da estrada de ferro para Paris, em 1855, essa variedade de queijo ultrapassou as fronteiras da Normandia, alcançando a mesa das monarquias européias e, delas, a de consumidores de todo o mundo.

Outras histórias retratam o queijo camembert como personagem direto na revolução francesa, posto que os fabricantes, geralmente nobres, foram perseguidos e os jacobinos tratavam o queijo como uma iguaria clandestina. A fabricação, então, foi reduzida a poucos pontos da região de Brie, aumentando sua fama e requintando seu sabor.

Descrição

Queijo de pasta mole, produzido com leite de vaca, apresenta-se com uma fina crosta de bolor penicillium branco, que se torna impregnada de pigmentos vermelhos, castanhos e amarelos à medida que matura.

O queijo jovem, com cerca de 30 dias de fabricação, apresenta um sabor suave, ligeiramente acidulado, com um "coração" (centro da massa) de textura pouco firme, que se modifica à medida que se aproxima da crosta.

Passados cerca de 45 dias de fabricado, o queijo alcança uma maturidade e uma personalidade, com sabor e aroma mais pronunciados, adquirindo uma textura fina e fundente.

Forma de degustação

Para a adequada degustação deste queijo, deve-se retirá-lo da geladeira com antecedência de uma hora. Adquirida a temperatura ambiente, deve ser cortado ao meio e, em seguida, ser fatiado, sempre do centro para a extremidade. Obtém-se, deste modo, um equilíbrio ideal entre crosta e massa em cada fatia.

Para acompanhá-lo sugerem-se vinhos tintos leves, pouco tânicos (ex.: Côte du Rhône), ou mais frutados (ex.: Bordeaux ou Beaujolais).

Queijos: Serra da Canastra (Brasil)

É muito bom falar de queijos importados, dos holandeses, franceses, italianos, suiços, mas precisamos também valorizar o que é nosso, por isso, depois de ler uma matéria resolvi falar sobre o queijo da Canastra.
Este queijo amarelo, de forma circular, pequeno, pode apresentar diversos aromas, texturas e sabores, variando sobre o seu tempo de cura ou maturação.
Este produto tem mais de 200 anos de produção na região mineira da Serra da Canastra, no sudoeste do estado.
É feito com o leite ainda cru, um processo semelhante ao do queijo da Serra da Estrela de Portugal, tendo sua receita derivada desta iguaria tão apreciada mundialmente. Este é mais um dos inúmeros produtos trazidos de Portugal, e sua receita também.
O processo de produção é complexo e trabalhoso, mas o queijo, devido a sua importância, é considerado Patrimônio histórico pelo IPHAN  e já possui um projeto em trânsito para que a região receba uma Indicação Geográfica Canastra, o que aumentaria o reconhecimento deste produto tão nacional.
Podemos enumerar várias características para cada tipo de maturação do queijo, como amendoado, amanteigado, arenoso, picante etc.
Se você tiver a oportunidade de experimentar esse queijo, faça, pois devido as normas de produção, alguns pequenos produtores só podem comercializar esse produto em suas terras, por não se adequarem a legislação vigente.
Experimente e ajudem a divulgar mais esse patrimônio nacional....

Queijos do Mundo - Prima Donna Azul (Holanda)

Esse é mais um dos queijos holandeses especiais que são comercializados no Brasil.

O Prima Donna Azul é constituido em formas de aproximadamente 12 Kg, apresenta 45% de gordura, e possui cura de aproximadamente 17 semanas.

Seu sabor é forte com aroma requintado.

Suas peças tem estrutura com pequenos buracos.

O Prima Donna é por excelência um queijo de culinária.

Sem que este fique mal sobre uma saborosa fatia de pão, este queijo sobressai melhor nas receitas com o temperamento do sul e do sol quente ou frio. 

Existem diversas formas de apreciar o Prima Donna Azul, sendo possível lascá-lo, utilizá-lo em lanches a partir de fatias, finalização de pratos tanto ralado como em pedaços, etc.

Boa noite a todos

Pessoal, amanhã tem mais...
Espero que tenhan gostado dos posts de hoje..
Amanhã tem mais informações, mais queijos serão destacados no blog e logo estarei postando informações sobre vinhos.
E se tiverem dúvidas, quiserem algum assunto, deixem mensagens que estarei postando pra vocês.
Uma boa noite a todos e fiquem com Deus

Danilo Muniz

P.S.: Amanhã eu conto a estorinha dessa foto que achei num blog muito bacana.

1º Festival Rotas dos Sabores: Mais Informações

Só para reforçar algumas informações que me foram solicitadas hoje a respeito do Festival Gastrnômico Rotas dos Sabores de São Bernardo do Campo.
Todos os estabelecimentos estão oferecendo pratos de seu cardápio ou criados para o evento em seus endereços.
Os descontos podem chegar a 50% do valor do prato constante no cardápio da casa.
As urnas estão nos estabelecimento identificadas com o logo da promoção.
E os estabelcimentos credenciados foram separados por pratos, ficando dessa forma:

- Rota dos Pratos Típicos.
- Rota do Frango com Polenta
- Rota do Prato Executivo
- Rota dos Peixes
Rota dos Aperitivos e Petiscos

Só falta a presença de todos...

Abçs.....

Queijo Proodsij Vincent (Holanda)

Este é um dos queijos mais apreciados na atualidade, resultado de vários fatores que o colocam no topo dos queijos holandeses comercializados no Brasil, tanto pela sua textura, como pelo sabor pronunciado.
O queijo Vincent é da mesma família do Prima Donna e do Old Dutch Master. Os fatores que o diferencia dos demais são:
Tempo de Maturação: Aproximadamente 17 semanas
Textura: Queijo maduro, com pequenos cristais de sal em sua estrutura, resultado da maturação. 
Sabor: Suave, com paladar refinado.
Queijo versátil, podendo ser utilizado com aperitivo, servido em lascas, como também pode ser derretido e acompanhar lanches e pratos de massa.
Acompanhamento ideal para vinhos, principalmente jovens do Chile e Argentina, como exemplares italianos, Chianti e Valpolicella.
Seu corte é macio e não há necessidade de grande esforço para lascá-lo ou fatiá-lo.

História:
O nome desse queijo veio do pintor Holandês Vincent Van Gogh, considerado um dos maiores artistas do mundo, teve uma vida conturbada, considerado por muitos um fracassado, pois não conseguiu constituir família, não conseguiu custear sua própria subesistência e nem mesmo mater contatos sociais. Acomedido de doença mental aos 37 acabou suicidando-se. 
Obteve fama somente após sua morte, quando em 1901, 71 de suas obras forma expostas em Paris.
Considerado o pioneiro na ligação das tendências impressionistas com as aspirações modernas, hoje é referenciado no campo do abstracismo, expressionismo, entre outros.
Encontra-se em Amsterdã o museu Van Gogh, totalmente dedicado aos seus trabalhos e de seus contemporêneos.
Viu, queijo também é cultura!!!

Queijos

Esse é outro assunto de que gosto muito e que gostaria de passar para vocês.

Quem é que não gosta de um bom queijo?

Duro, semi-duro, macio, mofado, cremoso, adocicado, salgado.... Essas são algumas das variações de queios existentes no mercado e que podem ser consumidos como aperitivos, em lanches, em pratos simples ou sofisticados.

O que vale é a imaginação.

E a partir de agora, estarei postando algumas dicas, informações, sugestões de harmonizações e tudo mais o que esse alimento milenar tem a oferecer.

E para saber um pouco mais sobre essa história, basta clicar no link Queijos: Histórias e Tradições, para saber um pouco mais sobre o assunto.

Espero que apreciem.

Até já...

1º Festival Rotas dos Sabores: Comida Tipica

E finalmente a última turma do Fetival Gastronômico Rotas dos Sabores de São Bernardo do Campo, o pessoal da camida típica.
Nessa categoria foram colocadas as churrascarias que estão dando desconto no rodízio, como o Pinheirão Grill, Tendall Grill e o Varandão Churrascaria, bem como a Cantina do Zelão com o seu Mocotó a Moda do Rei, o Restaurante Madalena com o seu Filé Madalena.
E ainda tem:
- Combinado Especial São Bernardo do Restaurante Torá II,
- Filé Mignon ao Molho Madeira do Bar do André,
- Kebab de filé Mignon do Koneria e Bar,
- Carne de Sol ou Carne Seca a Gonzagão do Restaurante Nordestão,
- Nhoque com Coxa e Sobrecoxa do Suqueria e Café,
- Taglita de Filet Mignon com Aligot Trufado ao Molho de Vinho do Porto do Restaurante Francisco,
- Baião de Dois do Restaurante Chabocão,
- Canellone de Ricota com Nozes da Cantina Fratelli D'Italia,
- Risoto de Pera,Camarão e Gorgonzola do Centro Equestre São Bernardo,
- Chuletinha SBC do Gijo's Restaurante,
- Espeto Misto da Churrascaria Xiboca,
- Combo 3 Mexicano do Pimenta Bar,
- Combinado Príncipe para 2 pessoas do Imperador Sushi,
- Xixbrarak ou Tabule ou Homus do Restaurante Kiram,
- Rodizio de Pizzas na Pizzaria Montini e também na Foccus Restaurante e Pizzaria.
e lembrando também, o self service com desconto do Restaurante Kirin.

E todos eles estão participando da promoção aonde o consumidor que colocar na urna do evento seus dados após pedir um dos pratos acima, estará concorrendo a uma refeição para 2 pessoas e  um cruzeiro cedido pelo evento para o participante e um acompanhante.

Aproveite e deguste o que nossa região tem a oferecer.

Abçs.

1º Festival Rotas dos Sabores: Petiscos e Aperitivos

Agora temos alguns petiscos e aperitivos que estão sendo servidos nas casa participantes do evento.
São pratos com até 50% que irão fazer a sua cabeça.

-Porção de Bolinho japonês do Oxigênio Bar,
- Guiness Pie do Liverpool Bar,
- Porção de Bolinho de Bacalhau do Bar do Bolinho,
- Parrilhada no Brasa Bar Chopp e Parrilla,
- Pizza Fon Quixote na Don Quixote Pizza Bar,
- Combo Show no Hot Dog Show ,
- Pastel Festival no Pastel Bertioga,
- Pasteizinhos de Feijoada do Boteco São Bernardo,
-  Porpetas de Frango Recheadas do Casilla Bar,
- Bolinho Fuçado da Estância Alto da Serra
- Combo Rota dos Sabores no Bar do Bolinho,
- Hambruguer Generali do Generali Vintage Bar,
- X Salada mais Coca do Chef's Restaurantes,
- Sanduíche Árabe do Sanduicheria Petrópolis,
- Camarão empanado ao Molho Rosé do Herculano's Country Bar,
e o X Salada do Mega Burguer.

São vários pestiscos, lanches e aperitivos para agradar a todos.
Vale a pena participar.

Abaraços.